0

7 maneiras de proteger o seu casamento da infidelidade

Preste atenção aos sinais que mostram o rumo que uma relação está tomando e tome a atitude certa antes que seja tarde demais.

Sem dúvidas, a infidelidade é uma das piores coisas que podem acontecer em um relacionamento. É uma forma de destruição de tudo aquilo que um casal construiu junto, em um caminho de comprometimento e intimidade. A confiança desmorona, o amor se abala e frequentemente famílias são divididas, e os filhos arcam com o peso disso.

Mas muitas pessoas que foram vítimas de uma traição não viram os sintomas iniciais. Aparentemente, é como se o caso de adultério tivesse caído do nada, como uma bomba, sobre o relacionamento do casal. Mas se prestarmos atenção ao modo como vamos vivendo a nossa relação, é possível enxergar o rumo que ela está tomando e o risco de se chegar a esse trágico episódio. Confira 7 formas de proteger o seu casamento da infidelidade:

Façam escolhas que priorizem a qualidade do seu relacionamento: É preciso que cada cônjuge se empenhe conscientemente na constante melhora do relacionamento. Isso vale tanto para momentos de crise, quando bate aquela dúvida sobre o caminho a tomar, quanto para o dia a dia – em hipótese alguma, dá para simplesmente ligar o piloto automático. Se de tempos em tempos você abre espaço para pôr em dúvida o seu comprometimento com o seu cônjuge, divertindo-se com as hipóteses alternativas, em algum momento vai acabar rompendo de vez o relacionamento e destruindo a história que vocês edificaram juntos.

Mantenham a comunicação aberta: Certifique-se que você se comunica abertamente com seu cônjuge. O relacionamento de vocês deve ser um ambiente em que ambos se sentem respeitados, acolhidos e à vontade para expressar os seus sentimentos sem ferir o outro. Não tenha medo de se abrir e falar de suas expectativas para a sua vida, o seu futuro e a sua relação – e de explicitar o que você acha que está faltando no relacionamento. Em um casal comprometido, não deve haver segredos. Mesmo os menores deles facilitam o caminho para que no futuro se escondam coisas maiores. Manter o hábito de esconder coisas do parceiro é um destruidor certeiro de casamentos.

Cheguem a um acordo sobre os limites: É muito importante deixar claro em um relacionamento o que vocês consideram “traição”. Em que ponto um relacionamento de amizade com alguém do outro sexo se torna uma ameaça para o casamento? Que tipo de atitudes do seu cônjuge perante pessoas do outro sexo fazem você se sentir desconfortável? Refletir sobre o que significa um casamento, o que significa a amizade e como se devem dar as relações com outras pessoas e chegar a um acordo é uma forma de garantir que vocês estejam falando a mesma língua ao falar de infidelidade.

Evitem a tentação: Se você está passando por um momento em que sente atração por alguém que não é o seu cônjuge, faça o possível para lidar com isso priorizando o seu casamento. Se você não é obrigado a encontrar essa pessoa ou a conversar com ela, então corte o contato. Se a presença dela é inevitável, evite conversas pessoais, ao vivo ou através das redes sociais. Não confie tanto em si mesmo, achando que vai conseguir andar na linha mesmo se estiver a sós com essa pessoa: se começar a rolar um clima, é muito difícil dizer um basta. Ao mesmo tempo, não torne essa preocupação com a outra pessoa algo que ocupe a sua mente o tempo inteiro – o que seria apenas outra forma de reforçá-la como objeto de desejo. Ao contrário, invista no seu relacionamento com seu cônjuge, mantendo a qualidade da sua convivência.

Sejam vulneráveis um ao outro: Abrir-se sem receio a um parceiro pode fazer com que nos sintamos expostos e vulneráveis, mas é um dos ingredientes mais importantes de uma relação pautada pela intimidade e pela confiança. Os cônjuges precisam ser capazes de depender um do outro e sentir que são necessários ao outro pelo apoio e acolhida que oferecem. A vulnerabilidade não é uma fraqueza, como se costuma pensar, mas uma força. Isso requer ser honesto consigo mesmo a respeito de nossos próprios limites e fragilidades – e ser compreensivo com os limites e fragilidades do outro, tendo em mente que sempre desejamos ser bem melhor do que realmente somos nos nossos momentos mais difíceis.

Disponham de tempo de qualidade um com o outro: Dispor de tempo de qualidade com seu cônjuge é um imperativo e não um luxo. Isso não significa gastar horrores em um jantar ou uma viagem juntos, mas viver regularmente momentos de apenas estar um com o outro, se divertindo juntos. Foquem-se no que vocês amam um no outro, conversem bastante, tentem começar uma atividade, um hobby ou um curso novo juntos. Conheçam-se de novo sempre – e continuem se apaixonando um pelo outro. É preciso priorizar esses momentos, colocando-os como compromissos na agenda, sem permitir que outras coisas se sobreponham a eles.

Conversem com amigos confiáveis: Se você se sente inclinado à infidelidade ou teve problemas com isso no passado, invista em conversas com amigos confiáveis. Essa pode ser uma ótima maneira de avivar a sua responsabilidade, como se você tivesse que “prestar contas” a esse amigo sobre como você está lidando com isso. Aqui não vão servir pessoas que concordam com tudo que você fizer e que se tornarão cúmplices de um caso de infidelidade, mas amigos verdadeiros que sejam honestos com você e possam encorajá-lo a se manter fiel ao seu compromisso.

admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *