0

Atenção mulheres: Como controlar o estrogênio, o hormônio que engorda e aumenta o risco de câncer de mama

Estrogênio é o hormônio feminino dominante e é o grande responsável pelo desenvolvimento das características femininas.

Além disso, prepara o corpo para a ovulação.

Mas o estrogênio em excesso é muito prejudicial.

E, infelizmente, excesso de estrogênio é algo muito comum nos dias atuais.

Segundo o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nos últimos dez anos o número de filhos das mulheres brasileiras baixou de 2,38 para 1,86.

Ou seja, atualmente as mulheres têm atrasado o projeto de ser mãe.

Muitas optam por não ter filhos ou engravidam tardiamente.

Todos esses fatores somados levam a uma maior exposição ao estrogênio.

Mas há outros fatores para esse acúmulo de estrogênio entre as mulheres:

– Estresse

– Cafeína

– Pílulas anticoncepcionais

– Terapia de reposição hormonal

– Produtos de limpeza, plástico, cosméticos e protetores solares

O resultado deste grave problema de saúde é:

– Ansiedade

– Ganho de peso

– TPM

– Sensibilidade nos seios

– Espinhas

– Fadiga

– Problemas mentais

– Queda de cabelo

Quando há uma carga altíssima do hormônio, as consequências podem ser ainda piores:

– Infertilidade

– Aborto espontâneo

– Miomas uterinos

– Endometriose

– Desenvolvimentos de alguns cânceres (especialmente o de mama)

– Diminuição do desejo sexual

– Períodos menstruais irregulares

– Inchaço (retenção de líquido)

– Dores de cabeça (especialmente na TPM)

– Mudanças de humor (na maioria das vezes irritabilidade e depressão)

– Mãos e pés frios (um sintoma de disfunção da tireoide)

– Perda de cabelo

– Disfunção da tireoide

– Metabolismo lento

– Fadiga

– Insônia

Desintoxicar o estrogênio pode ser feito simplesmente por uma dieta saudável, que visa melhorar seu metabolismo e regular sua ação nas células.

Para tanto, os alimentos mais recomendados são:

1. Vegetais crucíferos: pode apostar no repolho, couve-flor, brócolis, couve-de-Bruxelas, espinafre e outras folhas verdes ricas em nutrientes, como indole-3-carbinol.

Ele é responsável pela eliminação de excesso de estrogênios no fígado.

Se você consumir pelo menos de 3-4 porções destes vegetais por semana, já estará fazendo um grande bem à saúde.

2. Alecrim: quando adicionado a carnes, regula os níveis de estrogênio.

Este tempero tem grandes propriedades antioxidantes.

Além de tudo, o alecrim age em outros problemas, como:

– Falta de memória

– Falta de humor

– Problemas na tireoide

– Excesso de peso

– Metabolismo ruim

– Falta de energia

3. Linhaça: se você consumir de 2-4 colheres (sopa) de linhaça diariamente, com certeza estará promovendo o metabolismo adequado para um estrogênio saudável.

A linhaça controla a quantidade de estrogênio e isso favorece para tratar de vários problemas da saúde feminina.

Ela é rica em ômega 3 e fibras

Por isso é um ótimo remédio alternativo para cuidar de inflamações e prisão de ventre.

A linhaça é absorvida melhor quando triturada na hora de consumi-la.

Portanto, compre as sementes, e não a farinha, que já deve estar rançosa na prateleira do supermercado.

4. Salmão e outros peixes gordos, como sardinha: Eles contêm ômega 3, que é um óleo anti-inflamatório importante.

Este tipo de alimento é muito eficaz em doenças cardiovasculares e problemas mentais, como depressão e ansiedade.

E é ótimo para aumentar os “bons” estrogênios do corpo.

Consuma de 2-3 porções de peixes gordurosos por semana, ou um óleo de peixe de qualidade.

5. Ácido fólico: É responsável pela conversão de estrogênio “ruim” para uma forma muito mais saudável, que diminui o risco de certos tipos de câncer.

São boas fontes deste nutriente as folhas verdes escuras.

6. Açafrão-da-terra (cúrcuma): contém curcumina, um antioxidante que, entre muitas virtudes, regula a produção de estrogênio.

7. Amora: É uma poderosa reguladora dos hormônios femininos.

Como preparar o chá de amora:

Ingredientes:

1 litro de água

3 a 5 folhas de amora (vende-se em lojas de produtos naturais)

Modo de preparar:

Ferva a água. Assim que ferver, acrescente as folhas de amora, desligue o fogo e tampe a panela.

Beba quatro xícaras por dia, nos intervalos das refeições.

Afora isso, é muito importante praticar atividade física, melhor ainda se for ao ar livre, para receber de presente do sol a vitamina D.

Consumir muita água pura e de boa qualidade – no mínimo dois litros – também é essencial.

Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *